Skip to content

Posts tagged ‘cacau em pó’

Chocolate pode fazer bem para a saúde

Descubra os melhores tipos para consumo e coma sem culpa

barra de chocolateVocê sabia que comer chocolate diariamente pode funcionar como um ritual de saúde? Sim, é isso mesmo que você leu: o chocolate pode ser usado como remédio, como tratamento de saúde e beleza. Não é novidade que o chocolate tem sido condecorado em diversas pesquisas científicas como promotor de diversos benefícios de saúde, como o estudo da Universidade da Califórnia, publicado na revista americana “Archives of Internal Medicine”. Segundo o estudo, o doce pode controlar os níveis de colesterol, aumentar a circulação sanguínea e a atividade cognitiva, aliviar a TPM e até deixar a pele mais bonita e ajudar a administrar o peso.

Mas vamos esclarecer exatamente o que eu chamo de chocolate que faz bem pra saúde. Minha paixão pelo chocolate começou muito cedo, desde quando meu alimento favorito na infância era leite com achocolatado. Eu podia tomar isso diariamente, três vezes por dia, que não enjoava nunca. Isso durou até a adolescência. É claro que, à medida que fui crescendo, o universo maravilhoso do chocolate foi se descortinando em bolos, biscoitos, brigadeiros e bombons. Até sorvete: o único sabor que eu tomei durante mais de 20 anos da minha vida era única e exclusivamente chocolate.

Lembro-me de quando, há alguns anos atrás, meu primeiro coach de saúde me ajudou a descobrir minha sensitividade ao leite e derivados, e fiquei tremendamente impactada pela descoberta, pois não saberia como viver sem queijo e chocolate. Foi então que comecei a explorar o mundo dos chocolates amargos, que, em muitos casos, levam bem menos açúcar e não contém laticínios. Confesso que ficava encantada pelo apelo gourmet disso tudo, mas no fundo não gostava muito do sabor mais forte e sem doce desta versão. Mas como essa era a única forma de continuar alimentando meu vício, venci a barreira e reeduquei meu paladar. Neste momento, eu já estava mesmo cortando drasticamente o açúcar, os adoçantes e as comidas industrializadas da minha alimentação também. E isso fazia eu comer o chocolate ainda com resquício de culpa e sentimento de “sair da linha”.

cacau em pó

Até que quando eu estudei Nutrição Integrativa, um de meus professores, David Wolfe, o “papa” do crudivorismo e dos superalimentos, autor do livro “Naked Chocolate”, me trouxe uma informação que me deixou completamente atordoada: chocolate é, talvez, um dos alimentos mais poderosos e benéficos para a saúde. E eu pensei: “Viva! Posso comer chocolate sem culpa de ser feliz. E melhor ainda: comer chocolate é um dos melhores hábitos alimentares que eu posso ter”.

Foi então que comecei a pesquisar mais sobre as melhores opções que existem para alimentar esse meu vício da forma mais inteligente possível. Entendi que, na infância, meu vício não era exatamente o chocolate, mas na verdade o açúcar e o leite presentes na maioria dos casos. Aprendi que muitos dos chocolates mais vendidos só tem 5% ou menos de chocolate! E que os processos de manufatura e diversos aditivos químicos presentes, no final das contas, anulam ou não compensam os benefícios desse derivado do cacau.

Se você é um chocólatra como eu e não abre mão do seu vício, siga essas dicas na hora de escolher o seu chocolate:

  1. Leia os rótulos e escolha com base nas informações descritas. Se a lista de ingredientes começa com açúcar ou qualquer outro nome diferente para descrever os diversos tipos de açúcar ou adoçantes artificiais usados na indústria alimentícia, reveja sua escolha. Se houver um nome que você não identifica como comida ou que você tem dificuldade em pronunciar, como emulsificantes e aromatizantes, pense bem antes de comprar. Os chocolates que usam gorduras que não são manteiga de cacau e substitutos de soja também fazem parte desta lista. Você prefere comer algo gostoso e que faz bem pra saúde ao mesmo tempo, ou ter um prazer momentâneo que vai ter consequências para seu peso e sua saúde?
  2. Chocolates amargos que possuem 75% ou mais de cacau são opções mais interessantes. Existem diversas marcas que disponibilizam estas opções. Vale investir em uma opção que custa um pouco mais, principalmente se levarmos em consideração a dica número 1. Afinal de contas, é um investimento na sua saúde!
  3. Comece a fazer delícias de chocolate em casa. Principalmente naqueles dias de TPM, de tristeza ou de estresse, que tendemos a comer mais quantidade. Tenha sempre em casa, na bolsa e no escritório opções mais saudáveis, como os chocolates que possuem 75% ou mais de cacau, ou receitas que você pode facilmente preparar em casa, escolhendo com sabedoria os ingredientes. Assim, você evita o efeito colateral da culpa e dos malefícios para a saúde.
  4. Cacau em pó é uma boa forma de continuar consumindo chocolate sem os ingredientes indesejáveis dos chocolates industrializados. Use nas suas preparações em casa, e adoce-as com mel, rapadura, stevia (adoçante natural), ou use frutas como banana madura ou tâmara e uva-passa.
  5. castanhas de cacauA melhor opção de todas é a castanha de cacau in natura crua. Ela conserva todos os nutrientes e benefícios que este superalimento pode oferecer. Você pode comprar a fruta do cacau e colocar as sementes para secar ao sol, ou encontrar fornecedores que vendam as castanhas ou nibs já secos. Eu particularmente adoro salpicar nibs de cacau em frutas vermelhas ou nas batidas de açaí, para potencializar ainda mais os benefícios destes alimentos.

Confira aqui as receitas de mousse, brownie e trufas de chocolate.

Publicado em: Personare / MSN / MdeMulher / Clube da Vida Moderna / Portal RBS

Fertilidade ou Chocolate?

Parece que sempre nesta época do ano o assunto entre as mulheres é só chocolate: “Qual ovo o coelhinho da Páscoa vai trazer pra mim?”. Mas existe outro assunto de tanto interesse para o time feminino quanto o chocolate que a Páscoa nos traz. Afinal de contas, o simbolismo do coelho e do ovo nos remete a algo que nada tem a ver com guloseimas: a fertilidade.

Cuidar da fertilidade é primordial se a pessoa quiser ter filhos. Mas não é só por isso. Independente do momento ou plano de vida em relação a procriar, estar com a fertilidade em dia significa hormônios balanceados e corpo-mente em harmonia. Uma mulher que sofre com problemas como TPM ou quaisquer outras doenças que atingem o sistema reprodutivo, além de ter sintomas no corpo como cólicas e dores diversas, também compromete sua forma de se relacionar com as pessoas, sua produtividade no trabalho, e todos os demais aspectos de sua vida.

Nutrir-se com alimentos que vem diretamente da natureza é um dos melhores presentes que você pode se dar nesta Páscoa. Quer outro presente ainda melhor? Nutrir-se com crenças e pensamentos que permitam estar em contato com sua feminilidade, confiando no fluxo da vida, exercitando sua criatividade e seu poder, cuidando-se com compaixão.

Aproveite o feriado e use seu tempo para estar em contato consigo mesma, para cuidar do seu corpo com uma massagem ou um passeio na natureza, usar seu lado criativo para presentear as crianças da sua vida e fazer uma Páscoa inusitada, tirar um tempo para apenas parar e relaxar. E, porque não, também comer um pouco de chocolate de um jeito saudável, já que o chocolate amargo é um bom aliado da fertilidade feminina.

Trufa de Chocolate Expressa e Saudável

  • 1 xícara de amêndoas e castanhas-do-Pará trituradas
  • 1/2 xícara de tahini (pasta de gergelim)
  • 1/4 de xícara de cacau em pó
  • 1/4 de xícara de néctar de agave
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 1 pitada de sal marinho

Ponha todos os ingredientes em uma tigela e misture bem. Prove e adicione mais agave se precisar. Coloque na geladeira para resfriar até ficar firme. Faça bolinhas e role-as em coco ralado e/ou cacau em pó para finalizar. Estas trufas tendem a ficar molinhas em temperatura ambiente. Por isso, guarde-as numa vasilha fechada na geladeira ou freezer, e retire cerca de 10 minutos antes de consumir.

Fonte: MSN / Revista Personare

Dicas para espantar a TPM

Outono. A estação do ano que o clima começa lentamente a esfriar, a natureza começa sua transformação da exuberância para a hibernação.

Para a mulher, a fase pré-menstrual, ou luteal, é considerada seu estado outonal: assim como as folhas caem das árvores, o óvulo não fertilizado na fase anterior vai sendo absorvido pelo organismo, liberando altas doses de hormônios e finalizando o ciclo. O que significa muitas mudanças no corpo, no estado emocional e mental, e na energia de forma geral.

Antes de mais nada, é bom lembrar que Fase Luteal não é igual a TPM. Apesar de parecer que todo mundo sofre desta tensão, mudanças bruscas de humor, sintomas dolorosos, entre outras coisas, o período luteal pode ser um momento de muito autoconhecimento e sem sofrimento.

Por isso, é mais que recomendável consumindo alimentos e fazendo atividades que que deem suporte ao nosso corpo e nossa mente a passarem por este processo, ajudando a eliminar o excesso de hormônios e toxinas, e os padrões de pensamento e comportamento que não mais nos servem, que são exatamente o que provocam os terríveis sintomas.

A partir deste post e durante o outono, vou postar uma série de artigos e receitas sobre a Fase Luteal e a TPM. Vou começar com o ingrediente campeão na preferência feminina, principalmente durante esta fase: com CHOCOLATE! 🙂 O chocolate amargo, além de conter um monte de antioxidantes que nutrem o organismo, realmente tem uma reação química diferenciada na bioquímica cerebral das mulheres, relaxando e ao mesmo tempo estimulando gentilmente.

Mas calma lá, isso não significa cair de boca numa barra de chocolate inteira, cheia de açúcar e químicas artificiais. Saiba escolher bem para que o chocolate seja seu aliado no seu bem-estar durante este momento mais delicado. A receita abaixo, além de levar cacau em pó, também usa das excelentes fontes de gorduras do abacate e do coco, essenciais para um bom equilíbrio hormonal e dos níveis de açúcar no sangue, que governam nosso humor.

Quem não ficaria de bom humor depois de comer esta delícia geladinha e cremosa achocolatada?

Mousse de Chocolate Expresso e Saudável

2 abacates pequenos e maduros (polpa)
1 banana grande madura (in natura ou congelada)
¼ de xícara de mel de abelha silvestre (ou a gosto)
3 colheres de sopa de óleo de coco ou água filtrada
1/3 de xícara de cacau em pó
1 colher de chá de extrato de baunilha ou sementes de ½ fava de baunilha
¼ de colher de chá de sal marinho não-refinado
gotinhas de limão

Bata todos os ingredientes na velocidade máxima em um liquidificador, mixer ou processador, até que chegue na textura de mousse. Coloque na geladeira por cerca de 20 minutos em recipiente fechado para gelar.

Você pode substituir o cacau por alfarroba, se estiver evitando totalmente a cafeína, e use algumas gotinhas de extrato de cacau para dar gosto achocolatado.

Quer mais receitas com chocolate? Clique aqui mesmo!

Cinco opções matinais rápidas cheias de energia

Tudo começou como a maior parte das coisas que escrevo no blog, ou seja, um experimento que faço comigo mesma e vejo resultados tão maravilhosos que não consigo me conter e tenho que dividir com mais pessoas.
No caso, algumas dessas pessoas são minhas clientes, que, como eu, sempre estão com pressa (seja porque estou com fome, seja porque acordei atrasada, seja porque sempre estou correndo para fazer as coisas 🙂 ), sempre estão sem energia (posso ter dormido o que for, que sinto-me cansada o tempo todo), sempre tem fome (poderia ficar beliscando o dia inteiro, que ainda teria fome).
Fora o fato de que o dia que não tem horas suficientes para tudo que queremos e temos que fazer, as demais questões podem ser resolvidas ao prestar um pouco mais de atenção no que estamos comendo pela manhã (ou ainda, se não estamos comendo).
O ciclo começa acordando cedo para se preparar para ir ao trabalho, e colocamos o despertador o mais tarde possível que podemos, pois fomos para a cama tão exaustas que qualquer 5 minutos a mais nos parece a salvação. Aí levantamos e fazemos tudo correndo, porque não queremos gastar tempo pela manhã que não seja dormindo ou indo para o trabalho. O café-da-manhã fica para trás ou é qualquer coisa que já esteja pronta na geladeira, como um comum pão com manteiga/queijo e café com açúcar, porque deus-me-livre funcionar sem o café logo pela manhã.
Chegamos no trabalho, e lá pelas 10 horas aquela fome louca começa no meio da reunião, e então é a hora do biscoito recheado e mais um cafezinho pra conseguir continuar até o almoço. Vamos almoçar, e aquelas opções maravilhosas, como batata frita, empadão, e o arrozinho branco básico estão lá no nosso prato sem ao menos a gente perceber que pegou.
Voltamos para o trabalho, e em pouco tempo já sentimos aquele sono descomunal. Nem preciso dizer que vem mais um café, e que o humor pede aquele chocolatinho que vai dar aquele pique que a gente precisa para manter o olhos abertos em mais aquela reunião.
Se tivermos sorte de sair do trabalho no horário, é muito provável que já no caminho pra casa, principalmente quando estamos presas no trânsito, aquela fome monstra volte a nos atacar. Chegamos em casa e comemos o que for mais rápido e conveniente, pois não queremos gastar nem um minuto a mais para colocar algo em nossos estômagos e nem um pouquinho de fosfato pensando no que cozinhar. O que nos resta é aquela lasanha congelada no microondas, ou mais um sanduíche, ou a quase diária ligação para o delivery da pizza ou do chinês.
Aí vamos para o computador ou pra frente da TV, em estado de zumbi, jurando para nós mesmas que vamos para cama cedo, mas não vamos. E a fome volta a atacar, e caimos de boca nos docinhos novamente. Vamos dormir tarde e o sono é agitado, o que significa que não descansamos direito e suficiente para começar o ciclo novamente. Isso porque nem falei de dar atenção ao marido ou namorado ou aos filhos, cachorro, papagaio, periquito.

Se você gosta de assistir thrillers, acho que você deve ter descoberto quem é o grande vilão da história aí, né? E nem estou falando de estresse. Estou falando daquele fantasminha camarada que desmascarei em outro post do blog: as comidas brancas refinadas como o açúcar, o trigo, o arroz, a batata inglesa. São elas que te deixam sem energia. E com o que exatamente começamos do dia? Com pão e açúcar brancos. E o que normalmente falta no café-da-manhã? Uma boa fonte de proteína e de vitaminas e minerais.
Pessoas como nós, sempre na correira, sempre comendo doces e pães e macarrão e arroz e batata, com histórico de saúde ou na família de ovário policístico, resistência a insulina, hipo ou hiperglicemia, diabetes, síndrome metabólica, entre outras disfunções do pâncreas e dos níveis de glicose, insulina, ou que, simplesmente vive sem energia, aposte em colocar para escanteio as comidas refinadas e investir com vontade nas proteínas de qualidade.
E não estou falando que você deve virar uma mulher das cavernas carnívora, pois proteínas não estão presentes só nos produtos de origem animal, mas também nas leguminosas , nas castanhas e sementes, e também nos grãos integrais.

Já está achando tudo isso complicado demais? Simplifiquei tudo nestas 5 sugestões de café-da-manhã que não levam mais de 10 minutos para executar, são deliciosas, e vão deixar seu nível de energia mais alto e estável durante o dia.

5 receitas de opções rápidas cheias de energia para o café-da-manhã

(mas nada impede que vire almoço, lanche, jantar…)

  • Ovos com salada de rabanete e folhas

Uma fonte de proteínas leve e rápida de fazer, os ovos podem ser feitos mexidos um um fio de azeite, e temperados com um pouco de sal marinho e tomilho. Varie o modo de preparação dos ovos, como cozidos, poché, ou até cocote. Lembre-se de dar preferência para os caipiras e orgânicos.
A salada vem com uma excelente fonte de energia, que é o rabanete, uma raíz que vai ajudar muito a diminuir os desejos por doces. Pode ser substituída por cenoura, beterraba, nabo e pede o acompanhamento das folhas verdes como rúcula, agrião, alface ou outra folha suculenta de sua preferência.

  • Tofu com salada de cenoura e salsinha

Outra ótima fonte de proteína rápida de fazer, o tofu pode parecer estranho e sem graça, mas esta receita vai mudar sua opinião. A salada segue o mesmo esquema descrito acima. Veja a receita clicando aqui.

  • Smoothie Pura Energia

Faça este principalmente nos dias seguintes às compras na feira/hortifruti/supermercado, pois você terá muitas opções de frutas para brincar a vontade. A fonte de proteína aqui serão castanhas e sementes, que vão ser transformados em leite no liquidificador (veja receita aqui).
Pego um pouco deste leite, e bato com:
– Frutas vermelhas: vale desde o morango, amora, framboesa, mirtilo, até a polpa de açaí, de acerola, de uva
– 1 banana, maçã verde ou pera, ou 2 colheres de sopa de abacate
– 1/2 Limão verde, com casca e sem sementes e aquele miolo branco. Se quiser um gosto mais delicado, use o limão amarelo (ou siciliano)
– Salsinha ou couve ou qualquer folha verde escura disponível na geladeira. Se você tem receio de como vai ficar o gosto, comece colocando um pouco e vá aumentando a quantidade a cada dia.
Se quiser aumentar ainda mais o valor nutricional e a quantidade de fibras, acrescente 1 colher de sopa de sementes de chia.
Adoce com mel silvestre, melado ou rapadura, ou ainda stevia, e salpique uma pitada de sal.
Bata tudo no liquidificador e está pronto para ser saboreado em casa ou no caminho pro trabalho.

  • Salada de frutas Pura Energia

Pegue os ingredientes do smoothie, mas use de outra maneira: pique as frutas (vale combinar, além das descritas acima, mais outras também, como manga, abacaxi, laranja, mixirica, pêssego, ameixa, etc) e as castanhas/sementes, esprema o limão por cima e acrescente o adoçante natural de sua preferência e salpique uma pitada de sal. As folhas verdes podem ser ervas, como a hortelã, salsinha, manjericão ou coentro, ou até mesmo as folhinhas do morango. Acrescente 1 colher de sopa de linhaça triturada na hora. Pode também levar para o trabalho em um recipiente fechado para fazer um lanche no meio da manhã.

  • Mingau Pura Energia

Em uma panela pequena, junte meia xícara de aveia grossa ou laminada (ou mais, dependendo de sua fome) com água que cubra. Coloque em fogo baixo, com uma pitada de sal, e deixe cozinhar (se quiser, vá tirando a espuminha que normalmente se forma em cima). Você pode usar o leite de castanhas/sementes no lugar da água para um mingau mais cremoso, ou acrescentá-las picadas ao final para um toque crocante.
Deixe cozinhando por 10 a 15 minutos, até ficar na consistência desejada. Tempere com canela, noz moscada, cardamomo, cacau em pó (para as chocólatras e as de TPM!), acrescente o adoçante natural de sua preferência. Acrescente frutas picadas (as descritas na receita do smoothie ou da salada, ou ainda frutas secas como damascos, tâmaras, passas), deixe cozinhar por alguns instantes e desligue o fogo e sirva em um prato ou tigela. Salpique 1 colher de sopa de linhaça triturada na hora.
Você pode levar para o trabalho em uma vasilha fechada para comer como lanche da tarde, pois vai te dar uma boa energia extra para aguentar até o final do expediente, ou até mesmo como almoço, pois fica bem em qualquer temperatura, e naqueles dias que não dá tempo nem de respirar no meio do dia quebra um bom galho.

Bolo de Chocolate: Versão sem-culpa-de-ser-feliz

Semana passada, fiz esse bolo de chocolate inspirada por duas coisas: o artigo que escrevi sobre Leite, e o Workshop Uma Dieta de Abundância.
Eu tenho sensitividade a leite e derivados e tenho transformado minha alimentação numa versão saudável. Com isso, tenho explorado muitas novas possibilidades dentro da cozinha, principalmente na tentativa de buscar experiências mais apetitosas.
Por isso, decidi servir no lanchinho do workshop um Bolo de Chocolate Vegano, com toda a decadência de um bolo de chocolate comum e com muitos dos nutrientes que você precisa.
Essa receita eu aprendi em uma aula no Natural Gourmet Institute – NY.

Bolo de Chocolate Vegano

1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de farinha de trigo não branqueada
2 colheres de chá de fermento em pó
1 colher de chá de Bicarbonato de Sódio
1/2 xícara de cacau em pó
1 colher de chá de canela em pó
1 xícara de água
1/2 xícara de óleo de coco
1 xícara de xarope de agave ou 1 1/2 de melado de cana
1 colher de chá de vinagre de cidra ou de maçã
2 colheres de chá de extrato de baunilha
1/2 colher de chá de sal marinho

Pré-aqueça o forno em 180ºC. Unte e polvilhe trigo em uma assadeira de 25cm.
Peneire junto as farinhas, o fermento e o bicarbonato em uma tigela média.
Em uma panela pequena em fogo médio, dissolva o cacau em pó e a canela na água, mexendo sem parar. Quando a mistura começar a borbulhar, retire do fogo e derrame em uma tigela em separado. Adicione os demais líquidos e o sal e misture até encorporar tudo.
Derrame o líquido nos secos, e mexa até a massa ficar macia, de forma gentil e sem bater, para manter a leveza. A massa fica bem consistente e esponjosa. Derrame a massa no tabuleiro e asse por cerca de 30 a 45 minutos, ou até o palito de dente sair limpo ao espetar a massa.
Deixe o bolo esfriar no tabuleiro. Retire-o e acrescente a ganache.

Ganache de Chocolate

1/2 xícara de leite de coco
1 xícara de cacau em pó
1 colher de sopa de extrato de baunilha
1 a 2 colheres de sopa de melado de cana (a gosto)

Em uma panela pequena, aqueça o leite de coco até começar a ferver. Desligue o fogo e adicione o cacau em pó peneirado e mexa até que se dissolva. Deixe descansar por uns 3 minutos, coberto. Adicione a baunilha e o melado e misture até incorporar. Deixe esfriar na temperatura ambiente e sirva em cima do bolo.

Dicas:
1) Decore o bolo com frutas vermelhas, como morangos, amoras, framboesas, mirtilos. Seus antioxidantes potencializam o poder dos antioxidantes do cacau em pó.
2) Use essa ganache como um fondue de chocolate, servindo com frutas diversas da estação.

%d bloggers like this: